Rodrigo Caetano confirma oficialmente a saída do Inter: “Lugar que terá espaço grande no meu coração”

Executivo de futebol anunciou de forma oficial que não segue no colorado na próxima temporada

Publicidade

Após conversar com o presidente eleito Alessandro Barcellos na última terça-feira, o executivo de futebol Rodrigo Caetano confirmou oficialmente a sua saída do Inter. Ele ainda integra a delegação que irá para o jogo de domingo, fora, contra o Bahia e encerra a sua trajetória no dia 31 de dezembro.

Em coletiva, Caetano leu um comunicado e mostrou gratidão pela chance de ter trabalhado no Inter desde maio de 2018. E negou já ter futuro encaminhado em outro clube do futebol brasileiro.

“Venho aqui oficializar a minha saída do Inter. Agradeço ao presidente Medeiros. Também ao vice-presidente Alexandre Chaves Barcellos, João Patrício Hermann. Além do Roberto Melo, Alessandro Barcellos e Adauri Silveira. Agradeço também as comissões técnicas comandadas por Odair, Colbachini, Zé Ricardo, Coudet e Abel Braga. Por todo trabalho desenvolvido, acredito que o Inter está muito mais próximo de conquistar títulos. Acredito que o maior legado será a base do Inter. Temos 33% do elenco formado por atletas da base. O Inter tem um espaço muito grande no meu coração”, declarou.

Para a função de executivo de futebol, o nome preferido da gestão de Barcellos, que assume o clube no início de janeiro, é Paulo Bracks, que vem ocupando a mesma função no América-MG.

Confira o vídeo da coletiva e, abaixo, as principais aspas:

Saída de Eduardo Coudet:

“A saída do Coudet não dependeu do clube. Fomos na Argentina, mais de uma vez, para oferecer um projeto de 2 anos. Eu fui particularmente mais de uma vez, acompanhado do vice da época, Roberto Melo. Toda vez que eu fiz manifestações foi preservando os interesses do clube. Minha relação com o Coudet segue sendo excelente. Trocamos mensagens até hoje, e sei o quanto ele gosta dos profissionais que aqui ficaram. Lutei até o último minuto para que ele ficasse aqui. Creditar à diretoria a sua saída não é justo”

Entrevista polêmica dada depois da vitória contra o Atlético-GO:

“Minhas declarações não foram pessoais. Nada do que foi dito daquela vez foi diferente do nosso discurso interno. Queria que os torcedores entendessem. Não tenho essa pretensão. Até porque as redes sociais é terreno de ódio e destruição”

Convites de outros clubes:

“Eu até posso ter sido prejudicado pela lealdade e comprometimento com o clube. Mas isso é uma questão de principio. Tive muitos convites. Alguns deles que quase viraram proposta. Mas eu cumpro contratos”

A decisão de sair do Inter:

“Foi uma decisão conjunta. Não fiz nenhum pronunciamento antes de conversar com o novo presidente. Não era justo da minha parte pensar em outro local antes de ouvir ele”

Musto não segue no clube em 2021:

“O Musto cumpre o contrato dele até o dia 31 de dezembro e depois se despede do clube. Aqui fica minha gratidão eterna a ele. Não foi um jogador que levou a melhor sorte. Infelizmente. Um grande profissional, que suportou muita coisa e nunca saiu em sua própria defesa”

Permanência de Saravia:

“A questão do Saravia já foi repassada para a nova direção. Já temos encaminhado um novo empréstimo com o Porto. Mas há um acordo que ainda não está sacramentado com ele e seu agente”

Taison:

“As conversas com o Taison já são de muito tempo. Ele tem contrato com o Shakhtar. Não se pode fazer oferta até o começo de janeiro. Já repassamos isso para a nova diretoria. Se vai haver acerto, vai depender da nova diretoria. O que precisa acontecer é que, no momento que for permitido assinar um pré-contrato, ele aceitar. Depois negociar uma liberação com o Shakhtar. As conversas com ele sempre foram positivas e esperançosas”

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)