Demora no retorno e também na renovação: presidente do Inter abre o jogo sobre a situação de Wanderson

Atacante convive com dores musculares desde o jogo contra o Cuiabá e ainda se recupera

No Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo logo mais, pelo Brasileirão, a delegação do Inter segue desfalcada do atacante Wanderson, que convive com dores musculares desde a partida em casa contra o Cuiabá. O jogador foi tema de entrevista do presidente Alessandro Barcellos à imprensa na capital carioca, e o mandatário outra vez confirmou o desejo de renovar o seu contrato.

“Sobre o Wanderson, é um atleta que tem contrato conosco até o final do ano. E tem cláusula, sim, de possibilidade de compra. Basta o Inter acionar. Estamos trabalhando para assinar no momento adequado. Logo que assinarmos, traremos a informação para o torcedor. O jogador vem se recuperando. Ele vem de um mercado distante e não vinha atuando. O nosso calendário é muito exigente. Infelizmente ele voltou a sentir e estamos acompanhando a sua evolução”, citou Barcellos sobre Wanderson.

Veja também:
1 De 6.126

Wanderson pertence ao Krasnodar, da Rússia, com quem o Inter mantém conversas para fazer a compra em definitivo prevista no contrato.

“Temos certeza que logo teremos o Wanderson em plenas condições para que nos ajude nesta reta final de Brasileirão. E, consequentemente, com o contrato renovado, que é o nosso desejo, que ele possa continuar por mais tempo no Inter”, ampliou o presidente.

Valores que o Inter pagará por Wanderson

As conversas atuais indicam que o Inter, para fazer a compra em definitivo, irá pagar 4,5 milhões de euros (R$ 22,9 milhões pela cotação atual) aos russos em seis parcelas semestrais de 750 mil euros (R$ 3,81 milhões) contando a partir de janeiro de 2023.

“Eu estou focado em jogar e ajudar o Inter a ganhar títulos, que seria muito importante para mim. Gostaria de permanecer e tem pessoas tratando disso”, disse Wanderson em entrevista no começo de agosto.

Veja mais notícias do Inter:

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas