fbpx

Respostas na web, expulsões, “ataque”, cartão de juiz… repórter levanta atitudes do elenco e “cobra” direção do Grêmio

Executivo de futebol gremista Diego Cerri precisou responder uma pergunta resumida em diversos atos de indisciplina no Grêmio

O repórter Eduardo Andriotti, da Rádio Pachola, emissora formada por comunicadores gremistas, levantou uma série de atitudes de indisciplina do elenco do Grêmio nos últimos tempos e “cobrou” o executivo de futebol gremista Diego Cerri, responsável pela coletiva de imprensa em nome da direção no último sábado. A entrevista surgiu momentos depois da derrota de 1×0 para o Corinthians na Arena.

O “diálogo”, transcrito logo abaixo e visto no vídeo a partir de 32:30, acaba sendo contemporizado por Cerri, que avaliou que o time vem “produzindo” em campo e que mesmo apesar desses “fatos pontuais” a direção vem conseguindo “controlar bem” o grupo.

Eduardo Andriotti, Rádio Pachola: “Boa noite, Diego. Tu falou muitas vezes em “grupo forte”, mas o que a gente tem visto nesse ano é jogador respondendo dirigente na rede social, jogador que não aparece para fazer tratamento médico… no jogo passado contra o Flamengo, o final dele, foi um completo destempero do Grêmio. Vanderson expulso, aquele pênalti do Luiz Fernando. Hoje a gente viu o Maicon tendo um ataque, um jogador do nível dele, da experiência dele, vivendo o momento que o Grêmio vive, não pode ter… depois ainda teve o Diego Souza puxando cartão de juiz. O que que está acontecendo com esse grupo do Grêmio?”

Diego Cerri, executivo de futebol do Grêmio: “Eduardo, boa noite. Olha, vou te dizer que a partida contra o Flamengo foi diferente. Eu revi ela. Jogando uma Copa do Brasil, uma partidaça no primeiro tempo. Conseguimos ter imposição no primeiro tempo, tiramos todos os espaços deles, merecíamos ter saído ganhando. Eles tiveram um expulso. Na volta, tomamos gol de escanteio e fomos lutando até os 40 quando realmente as coisas saíram do prumo. Foi atípico. Mas muito diferente do jogo contra o Corinthians, no detalhe, em que fizemos boa partida. Se você pega alguns fatos isolados para caracterizar uma situação, eu consigo entender o seu ponto de vista, mas se a equipe não tivesse jogando da maneira como está jogando a gente poderia pensar: “Poxa, o emocional dos jogadores está ruim, eles estão abalados”. Mas não. Claro que precisamos fazer mais. Não podemos deixar passar mais tempo. Óbvio que nosso momento é difícil e que ninguém esperava. Isso traz uma pressão grande, o que é normal. Mas se não tivéssemos administrando bem isso, não veríamos o time estar jogando como vem jogando. Perdemos no detalhe. Apesar de fatos pontuais que podem ter acontecido, nós estamos controlando bem. Vamos melhorar e sair dessa situação”.

Cada vez mais pressionado pelo mau momento no Brasileirão, competição da qual é o 18° com apenas 16 pontos, o Grêmio deu folga até quarta-feira ao seu grupo de jogadores e só volta a jogar no dia 12, em casa, diante do Ceará.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas