Renato tem razão? Entenda a função do “delegado do jogo” durante a realização da partida

Técnico gremista denunciou participação de Jailson Macedo Freitas em questão técnica

Publicidade

A derrota do Grêmio de 1×0 para o Bahia na Arena Fonte Nova, em Salvador, pelo Brasileirão, ficou marcada pela irritação do técnico Renato Portaluppi. Após ver o centroavante Diego Costa ser expulso direto do banco, o treinador orientou todos os reservas a irem ao vestiário junto com ele, “abandonando” a reta final da partida, que seguia em andamento nos seus minutos finais.

Por que Renato fez isso? Segundo ele, o ex-árbitro Jailson Macedo Freitas, que atualmente é o Presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Baiana, estava próximo ao banco e orientou o quarto árbitro dos supostos xingamentos de Diego Costa. Inconformado com a “interferência externa”, Renato iniciou o abandono do jogo, posteriormente alegando que não queria perder mais ninguém expulso.

Oficialmente, a CBF informou no documento do jogo que Jailson Macedo Freitas era o “delegado” da partida. Exercendo este cargo, ele teria autorização para estar na beira do gramado, mas não para interferir em questões técnicas em relação à arbitragem.

Em outras palavras, Jailson Freitas, enquanto delegado, não pode dar informações à equipe de arbitragem para interferir nas marcações em campo. Um delegado de partida tem outras atribuições, como envio de súmula, verificação de sistema de som, iluminação, vestiários e placar eletrônico, entre outras questões administrativas.

Grêmio apoia Renato e solta nota oficial

Até o momento, nenhum dirigente gremista se manifestou desde o jogo de sábado, o que dá a entender que o clube apoia a postura tomada por Renato. Em nota oficial divulgada nesta segunda-feira, o Grêmio prometeu seguir acompanhando os desdobramentos do caso:

“O Grêmio acompanha com atenção os desdobramentos de sábado, que apontaram uma interferência externa na equipe de arbitragem do jogo contra o Bahia e culminaram com a expulsão do atleta Diego Costa. Informa ainda que, com base no artigo 74 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, vai ingressar com uma “notícia de infração disciplinar desportiva” (NIDD) no STJD, para que os fatos sejam devidamente apurados pela procuradoria do órgão e, após a investigação, as medidas cabíveis sejam tomadas”, diz o clube.

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas