Renato relembra momento emblemático ao lado de Grohe antes de defesa que permitiu a volta da era de títulos

Treinador recordou a emocionante disputa de pênaltis contra o Athletico em 2016 na Arena

Publicidade

Logo na primeira decisão em sua volta ao Grêmio em 2016, o técnico Renato Portaluppi precisou colocar em cena o lado motivador. E tratou de botar a confiança do goleiro Marcelo Grohe nas alturas antes da consagração na disputa de pênaltis contra o Athletico, na Arena, nas oitavas da Copa do Brasil – a mesma Copa do Brasil que interrompeu a série de 15 anos sem grandes títulos.

Após vencer o jogo de ida no Paraná por 1×0, o Grêmio sofreu derrota pelo mesmo placar em Porto Alegre com falha de Grohe no tempo normal. Ele soltou facilmente uma bola e o amigo ex-gremista André Lima fez para os paranaenses. Na disputa por pênaltis, Weverton teve a cobrança para fazer o gol da classificação, mas o goleiro tricolor deu a volta por cima.

“Lembro que chamei o Marcelo e falei que era com ele, que ele era ídolo da torcida e que daria essa classificação para nós. Ainda bem que o Marcelo fez uma grande defesa. Ele (Weverton) bateu bem, só que o Marcelo fez uma grande defesa. Aquele lance muda a história”, confirmou Renato em entrevista recente ao jornalista Duda Garbi, do Grupo RBS.

Hoje no Al-Ittihad, da Arábia Saudita, Grohe, na época, também agradeceu as palavras ditas por Renato antes do início das cobranças:

“Para mim, foi uma noite de muita loucura, depois de ter errado no gol do Atlético, em uma bola que, teoricamente, é fácil. É a bola que, todos os goleiros sabem, a gente mais treina durante a semana. É uma bola de entrada, de segurança, e acabei soltando no pé do André Lima. É um erro técnico. Depois, se passou o jogo, a gente acabou perdendo e foi para os pênaltis. Eu lembro que o Renato me chamou para fora do grupo, me passou muita confiança, com as mesmas palavras qure ele colocou na coletiva. O erro tinha acontecido, tinha passado, de vilão eu poderia ser o herói. Ele precisava de mim naquele momento, para ajudar a equipe. Eu tenho que agradecer a ele muito. Foram palavras muito importantes para mim naquele momento, ter a confiança do meu treinador em um momento difícil para mim”, lembrou o arqueiro na oportunidade.

Conquistada com muito heroísmo, a classificação elevou a confiança do Grêmio, que, na sequência, não teve esta mesma dificuldade para vencer Palmeiras, Cruzeiro e Atlético-MG antes de ficar com o título. Grohe ainda era o goleiro nos títulos da Libertadores e da Recopa Sul-Americana, tendo deixado o clube no final de 2018.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)