Ramírez explica substituição de Edenilson e comenta empate em casa: “Tem dias que a bola não entra”

Técnico espanhol colorado deu explicações após o empate em 0x0 diante do Always Ready

Publicidade

Após o frustrante empate em casa em 0x0 diante do Always Ready, da Bolívia, pela rodada da final do Grupo B da Libertadores, o técnico colorado Miguel Ángel Ramírez precisou dar novas explicações sobre o desempenho do time e justificou, por exemplo, a saída de Edenilson no meio do segundo tempo para a entrada de Rodrigo Dourado.

A preocupação com um eventual cartão amarelo ao camisa 8 motivou o espanhol a proceder com a troca:

“Tirei o Lindoso pelo amarelo. Quando fiz a do Edenilson, pensei nas oitavas. Ele estava pendurado. Não queria acabar com 10 também. No jogo, Dourado poderia nos dar mais controle. Está acostumado a fazer a saída de bola”, explicou.

Após fazer 10 gols somados nas partidas em casa contra Olimpia e Táchira, dessa vez o Inter passou em branco:

“Em partidas como a de hoje é fundamental fazer o primeiro gol. Tem dias que a bola não entra. Sabíamos que eles iriam se fechar e que seria muito difícil. Always não se importou com a sua classificação”, disse Ramírez, antes de falar do objetivo atingido:

“Inter fez o que tinha que fazer nessa fase. Classificar em primeiro. Agora começa o Brasileiro, começa a Copa do Brasil e teremos muito tempo de trabalho e competições até as oitavas de final. Serão muitas coisas que vão mudar. Mas o objetivo foi cumprido”.

Agora, o Inter se concentra para a estreia no Brasileirão diante do Sport, domingo, 20h30, também em casa. O sorteio das oitavas da Libertadores ocorre na quarta que vem.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)