fbpx

Rafinha revela conversa com Renato antes de vir para o Grêmio e cita os dois melhores jogadores que já marcou

Experiente lateral-direito do Grêmio concedeu longa entrevista à Rádio Gre-Nal nesta segunda-feira

Por uma grande ironia do destino, Rafinha chegou ao Grêmio por pedido e insistência de Renato Portaluppi, mas sequer jogou no clube sob comando do treinador, que agora, nesta quarta-feira, será seu rival dirigindo o Flamengo nas quartas da Copa do Brasil. Ainda assim, o lateral é grato pela forma como surgiu a possibilidade de jogar no tricolor.

LEIA MAIS – Rafinha explica presença no pagode, brinca com dança de Geromel e defende colegas: “Temos vida também”

Em entrevista concedida à Rádio Gre-Nal na última segunda-feira, o experiente jogador revelou como foi a conversa com Renato e avaliou que o seu estilo de jogo combina com o Grêmio:

“Quando eu e o Renato conversamos a primeira vez, eu já deixei claro que queria jogar aqui. Qual jogador profissional não quer jogar no Grêmio? Eu acho que é um clube que combina comigo, eu sou um jogador vitorioso e o Grêmio também”, mencionou.

Com larga carreira na Europa, entre futebol alemão, italiano e mais recentemente o grego, Rafinha não teve dúvidas ao citar os dois melhores jogadores que já precisou marcar:

“Os jogadores que mais me deram trabalho para marcar foram Ronaldinho Gaúcho e o Thierry Henry”.

Por fim, falou do seu estilo animado e brincalhão no vestiário e no dia a dia com os colegas:

“Eu procuro ser sempre a mesma pessoa na vida privada e dentro dos gramados. Eu vim de família simples do interior do Paraná e acho que isso é a chave do meu sucesso, ser sempre humilde e tratar todos iguais, do presidente ao cara que corta a grama do CT”.

De volta à titularidade, seja pelo lado direito ou esquerdo, Rafinha tem contrato com o Grêmio até dezembro e é presença certa nesta quarta, 21h30, na Arena, na ida das quartas da Copa do Brasil diante do Flamengo.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas