Próximo presidente? Entenda as razões que fazem o Inter manter Roberto Melo

Publicidade

As críticas em cima do trabalho do técnico Odair Hellmann tinham praticamente a mesma veemência das críticas sobre o vice-presidente de futebol Roberto Melo. No entanto, só o primeiro caiu. E, em coletiva de imprensa nesta quinta, o presidente Marcelo Medeiros ajudou a explicar o porquê.

Melo é o vice de futebol da gestão Medeiros desde o seu primeiro dia em 2017. Para explicar a permanência do dirigente, o presidente falou em “lealdade” e descartou completamente que seja uma estratégia política que ele o suceda no cargo nas eleições do final de 2020.

“Hoje estamos em 6°, a gente entende que houve uma grande frustração na Copa do Brasil e não é momento de terra arrasada pra demitir todo mundo. Ser vice de futebol no Inter é estar sempre em avaliação. Nós já passamos por momentos mais difíceis e o Roberto tem a confiança do Conselho de Gestão e temos a lealdade dele”, disse.

Melo seria uma indicação “natural” do Movimento Inter Grande (MIG), mesmo grupo de Medeiros, para o pleito de 2020. O presidente garante que as eleições só serão pensadas no Beira-Rio a partir de agosto do ano que vem.

“Essa questão política é precipitada, fora de prazo. Não tem nada a ver com política. Nós da gestão não fazemos política. Não se discute isso de processo eleitoral do Inter agora. Apenas em agosto de 2020. Até lá os grupos políticos tem toda a liberdade para conversarem”, concluiu.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)