O que falta para Johnny? Ramírez justifica ausência do jovem volante e pede calma: “Não vou jogá-lo aos leões”

Jogador norte-americano é bastante elogiado pelo treinador, mas ainda tem poucos minutos na temporada

Publicidade

Mesmo com a ausência do lesionado Rodrigo Dourado, que tem lesão muscular na coxa e vai parar por pelo menos duas semanas, Johnny não saiu do banco de reservas na estreia do Inter em 2×2 com o Sport no Beira-Rio pelo Brasileirão. Rodrigo Lindoso, autor do segundo gol, foi o escolhido pelo técnico Miguel Ángel Ramírez, que foi perguntado sobre a situação do jovem jogador norte-americano em coletiva de imprensa pós-jogo.

LEIA MAIS – Ramírez cita “outro lado” dos protestos, entende torcedor do Inter e diz estar consciente da pressão: “Sei o clube que estou”

Veja também:
1 De 5.985

Para o espanhol, é preciso respeitar o “processo de evolução” do jogador de 19 anos no dia a dia, evitando que ele seja “jogado aos leões” sem cumprir todas as etapas de crescimento no profissional:

“Falta tempo e evolução. No dia a dia, cada um tem seu processo. Vai ter minutos logo, certo que sim. Vai poder participar. Está em um processo de aprendizagem e evolução. O que eu peço a Johnny é complicado, não é de uma semana para outra. Peço que tenham paciência”, disse.

Treinador colorado ainda pede cautela com o jovem volante – Foto: Reprodução/YouTube

Ramírez, vale lembrar, chegou a dizer em coletiva ainda durante o Gauchão que Johnny é o camisa 5 do futuro do Internacional.

“Vou colocar Johnny quando eu sentir que estiver preparado. Não vou jogar ele para os leões. Vou colocá-lo quando estiver seguro e quando estiver com confiança”, acrescentou o treinador.

Confira a resposta sobre Johnny a partir de 20:15:

Canal WhatsApp - Zona Mista Inter

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas