Nonato projeta 2021 “diferente” sobre Gre-Nais e justifica ter ficado de costas no pênalti de Edenilson

Jovem meia colorado de 22 anos reapareceu no time durante o Gre-Nal do último domingo

Publicidade

Um verdadeiro caminhão saiu das costas do atual elenco colorado com a vitória de 2×1 de virada no Gre-Nal de domingo passado, no Beira-Rio, encerrando um incômodo jejum de 11 clássicos sem triunfos. E o meia Nonato, que reapareceu no time no segundo tempo da partida, não faz cerimônia alguma para admitir o quanto a pressão estava grande.

Otimista a partir da tão esperada vitória, o ex-jogador do São Caetano espera que 2021 seja “diferente” a favor do Inter em termos de resultados dos Gre-Nais:

“A pressão era grande. Óbvio que todo o jogador tem que saber lidar com a pressão, mas quando o resultado não vem, até quando jogávamos melhor, acaba nos colocando para baixo. Quando as coisas não acontecem, acaba abalando um pouca a confiança da equipe e talvez isso nos atrapalhasse. Era mais a questão psicológica mesmo. Mas depois de domingo isso acabou e em 2021 vai ser diferente”, prometeu em entrevista à Rádio Gaúcha.

Um fato curioso a respeito de Nonato no último Gre-Nal foi a sua opção de ficar de costas, quase ajoelhado, na cobrança do pênalti de Edenilson já nos acréscimos. Nem ele soube explicar o porquê deste ato:

“Não sei nem explicar. Eu preferi (não olhar). Fiquei esperando ouvir o barulho da galera gritando. Era um momento divisor de águas. Era um jejum que a gente tinha. Ainda bem que deu tudo certo”, concluiu.

Nonato é opção do técnico Abel Braga para a importante partida deste domingo, 18h15, diante do Bragantino, no Beira-Rio. O colorado lidera o Brasileirão com 62 pontos, quatro a mais que Flamengo e São Paulo.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)