Matheus Henrique projeta jogo no Morumbi e descarta “maldade” de jogadores do São Paulo

Camisa 7 gremista concedeu coletiva de imprensa nesta segunda-feira projetando a Copa do Brasil

Publicidade

Ao contrário da manifestação até mesmo de alguns dirigentes do Grêmio, o volante Matheus Henrique não demonstrou grande preocupação com a suposta “deslealdade” do São Paulo. A volta da semi da Copa do Brasil ocorre na quarta-feira, dia 30, às 21h30, no Morumbi – o tricolor gaúcho venceu a ida por 1×0 na Arena.

Para o camisa 7, um jogo dessa importância naturalmente coloca as equipes lutando por “um prato de comida” a cada lance. E, vem daí, as jogadas mais ríspidas:

“Com certeza vão ter disputas mais fortes porque ninguém quer perder. Lá do lado do São Paulo, eles entraram no jogo por um prato de comida e é o nosso pensamento também. No jogo de quarta-feira, eu não tenho dúvida que vai ser um jogo pegado, um jogo bonito”, disse Matheusinho em coletiva, antes de acrescentar:

“Tem momentos que são inevitáveis (as entradas duras), mas sem nunca ter na cabeça como uma maldade de querer machucar um adversário ou eles (São Paulo) ter o pensamento de machucar um companheiro nosso. É sempre visando a bola, e como eu falei, estamos tratando de uma na final da Copa do Brasil”.

Sobre esse tema, o Grêmio ainda carrega o trauma do jogo do dia 17 de outubro, no Morumbi, empatado em 0x0 pelo Brasileirão. Na oportunidade, jogadores como Alisson e Luiz Fernando se lesionaram por entradas duras – o primeiro teve que ficar fora por mais de 70 dias e voltou apenas neste domingo na vitória de 2×1 sobre o Atlético-GO.

Como venceu a ida por 1×0, o Grêmio joga com a vantagem do empate no Morumbi, às 21h30, na quarta-feira. A outra semi da Copa do Brasil tem o América-MG recebendo o Palmeiras, sendo que o primeiro jogo foi 1×1 em São Paulo.

Confira mais declarações de Matheus Henrique em sua coletiva de imprensa:

“Em se tratando de uma semifinal de Copa do Brasil, se tem algo que temos que fazer é nos concentrar bastante. A descontração vem depois”
.
“Não muda (atuar com Darlan, Maicon ou Lucas Silva). Cada um tem suas características e suas qualidades. Isso é um problema positivo para o Renato, pois quem ele está escalando está dando o seu máximo”
.
“Você vê esse nível de disputa e dificuldade, porque estamos falando de uma semifinal de Copa do Brasil. Os jogos ficaram mais apertados com a pandemia e os privilegiados são os quatro que ainda querem a vaga na final”
.
“Vai ser um jogo pegado, um jogo bonito. Jogo de duas equipes que jogam bonito e com a bola no chão (contra o São Paulo)”
.
“Temos o privilégio de ter o elenco qualificado. Se conseguirmos a vaga para a final vai ser por mérito da equipe, do staff, da comissão e de todos aqui”
.
“Quando acontece uma derrota, ou até mesmo uma eliminação, como aconteceu para o Santos, tiramos muitas lições. A gente sabe que não podemos cometer os mesmos erros que cometemos naquela partida”
.
“Todos sabem do potencial do Alisson, do que ele já fez pelo clube. Grande jogador, sempre titular. Ficamos felizes com a volta dele”
.
“Eu, particularmente, não tenho nada de superstição. O que eu faço antes de qualquer partida é pedir força para Deus nos 90 minutos, para batalhar. Não adianta nada pedir e ter superstição e achar que as coisas vão cair do céu”
Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)