Ex-presidente do Grêmio diz que traria Roger Machado e revela ter perguntado a Felipão sobre pouco uso de Campaz

Luiz Carlos Silveira Martins, o Cacalo, concedeu entrevista à Rádio Gre-Nal nesta segunda-feira

Caso ainda fosse dirigente do Grêmio, algo que fez durante muito tempo na década de 90, Luiz Carlos Silveira Martins, o Cacalo, direcionaria todo o seu esforço para trazer Roger Machado. À Rádio Gre-Nal nesta segunda-feira, o antigo gestor citou o ex-lateral-esquerdo como nome ideal para a vaga de Luiz Felipe Scolari, o Felipão.

“Se eu tivesse que escolher um técnico para o Grêmio, pela identidade, eu gostaria do Roger Machado no comando do clube”, resumiu.

A informação do jornalista Eduardo Gabardo, da Rádio Gaúcha, dá conta de que Roger foi o primeiro treinador procurado pelo Grêmio, mas que, no entanto, ele irá manter o costume de não pegar trabalhos no “meio do caminho”.

Com indefinição em relação ao futuro da casamata, o Grêmio, que é o 19° com 23 pontos, decidiu que Thiago Gomes vai ser o interino na partida de quarta, 20h30, fora, frente ao Fortaleza.

Felipão explicou situação de Campaz

Assim que teve a oportunidade de conversar com o agora ex-técnico gremista Felipão, com quem trabalhou junto na década de 90, Cacalo quis saber sobre a pouca utilização do meia-atacante colombiano Jaminton Campaz:

“Perguntei ao Felipão sobre Campaz e os motivos que ele não jogava. O Felipe me disse que ele era muito novinho e estava muito verdinho ainda”, citou.

Campaz tem 21 anos e foi contratado no meio do ano por cerca de R$ 21 milhões até 2025. O jogador atuou no empate em 2×2 com o Cuiabá na Arena, mas voltou a sobrar do time na derrota de domingo por 1×0 para o Santos.

    Estamos também no Telegram:
  • Clique aqui para entrar no grupo para acompanhar as notícias do Grêmio
    Estamos também no WhatsApp:
  • Clique aqui para entrar no grupo 18 para acompanhar as notícias do Grêmio.
  • Clique aqui para entrar no grupo 27 para acompanhar as notícias do Grêmio.