fbpx

Em alta no Santos, Marcos Guilherme lembra Coudet e admite que não foi bem no Inter: “Não consegui jogar como sei”

Meia-atacante está começando muito bem a sua trajetória vestindo a camiseta do Peixe

Em alta vestindo a camisa do Santos, sendo titular sob comando de Fernando Diniz desde o momento da sua chegada, o meia-atacante Marcos Guilherme foi sincero ao falar da sua passagem pelo Inter em entrevista concedida ao site Goal. O jogador reconheceu que só jogou bem com Eduardo Coudet antes da pandemia e que nunca conseguiu recuperar a confiança no colorado.

No entanto, ele garante ser grato ao Inter e a Porto Alegre embora as poucas alegrias profissionais vividas no período entre 2020 e começo de 2021:

“Comecei muito bem com o Coudet e fiz bons jogos. Após a pandemia dei uma caída. Vejo como natural, mas a partir dali comecei a atuar não da forma que estou acostumado. Minha forma é jogar leve, solto e em velocidade. No Inter alguns jogos atuei mais atrás, no meio de campo. Não estava tão aberto como extremo. Jogava pela direita. Não é uma desculpa, longe disso, mas acho que a falta de confiança é porque entrava em alguns jogos e não conseguia fazer o que estava acostumado. Começa a errar coisas muito simples e a confiança acaba indo embora. Em alguns jogos não consegui atuar bem e isso foi tirando minha confiança. Não consegui mais atuar. Também saí um pouco do time e ficava na reserva. Nesse final em alguns jogos nem era convocado. Acabava que minha auto cobrança também me atrapalhava um pouco”, disse, antes de acrescentar:

“Não consegui atuar da forma como sei. O Marcos Guilherme não fluiu no Inter. Poucos sabem e acho que nunca falei, mas se profissionalmente pode ter sido meu pior momento, pessoalmente foi o lugar onde vivi minhas melhores experiências pra vida. Sou muito grato ao Inter e a Porto Alegre pelo que me proporcionaram. Quando as coisas não acontecem no trabalho afeta a nossa vida. Você fica triste, chateado e sem viver da forma como gosta. Isso foi uma forma de aprender e evoluir. Em Porto Alegre e no Inter infelizmente em campo não consegui render, porém aprendi muito fora. Trabalhei coisas que precisavam ser trabalhadas. Profissionalmente pode não ter sido um bom lugar, mas pessoalmente foi o lugar que mudou a minha vida”.

Marcos Guilherme tem contrato válido com o Inter até dezembro de 2022. E está cedido por empréstimo ao Peixe até junho do ano que vem.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas