WhatsApp: +5551985261953

Elenco rachado? Dirigente do Grêmio comenta polêmica do ano passado e confia em ambiente saudável em 2022

Executivo de futebol Diego Cerri, em coletiva de imprensa

Um dos motivos apontados para a ainda recente queda do Grêmio em 2021 foi rebatido pelo executivo de futebol do clube, Diego Cerri, em entrevista coletiva concedida na última sexta-feira. Ele não concordou ter existido um “racha” no vestiário entre atletas mais experientes e mais jovens, mas confirmou que espera um 2022 de ambiente ainda mais saudável e de resultados melhores.

“Não vou te dizer que teve um racha. No futebol, toda vez que você não tem resultado, o clima e o ambiente ficam pesados. Coisas menores aumentam de proporção. Conflito de gerações não acontece só no futebol ou só com a gente. As gerações vão mudando. Cada um tem um tipo de comportamento. Uns chegam ao clube e precisam entender a realidade e o contexto inserido. Outros tem mais experiência. Existem diferenças”, avaliou, antes de acrescentar.

“Acabou tomando proporção maior pelos resultados. Já tive em equipes até campeãs que sempre teve problema. São 30 jogadores, cada um com sua expectativa, não é fácil. Isso repercutiu muito, mas esse ano é um novo ano. E tenho certeza que vamos ter ambiente saudável. De disputa, mas em benefício do Grêmio. Queremos traduzir isso em equipe competitiva em campo”, encerrou.

Confira outras falas de Cerri:

Cláusula de compra de Benítez

“Começamos dia 14 (de dezembro) a montagem da Série B. Contratamos Orejuela, Bruno Alves, Benitez, Janderson, Nicolas e renovamos com Diego Souza. No caso do Benítez, existe uma obrigação de compra caso ele atue em 60% dos jogos por no mínimo de 45 minutos”

Situação de Ferreira

“Ferreira é um jogador importante no elenco. Estamos tentando reforçar a relação com o Ferreira. As conversas tem evoluído bem, conversas de bom nível das duas partes. Queremos melhorar a situação para o Grêmio e para o Ferreira aqui dentro”

Sorriso, do Juventude e Moisés, da Ponte Preta

“Eu tenho buscado, com o Dênis, Serginho (Vasques), Romildo e Vagner Mancini, jogadores que possam agregar a equipe, mas sem custo elevado. Tivemos conversando com o Sorriso, mas as coisas não evoluíram. O Moisés eu observei na Ponte Preta, mas não tem nada concreto”

Gostou do site? Então deixe sua curtida: