fbpx

Dirigente do Grêmio revela torcida intensa de Kannemann na arquibancada contra a Chape: “Quase me deixou surdo”

Zagueiro argentino segue de fora do time e torceu muito nos camarotes do estádio

Ainda em recuperação de pancada sofrida na última semana, Kannemann segue fora do time do Grêmio dentro de campo, já que, fora dele, apoia como pode e gasta a voz para ajudar os colegas. Foi assim nesta segunda-feira, quando ele esteve na Arena torcendo na vitória de 2×1 sobre a Chapecoense, pelo Brasileirão.

Logo depois da partida, o vice de futebol gremista Marcos Herrmann concedeu coletiva de imprensa e usou o exemplo do argentino para citar o comprometimento do grupo:

“Thiago Santos quando estava fora sempre vinha nos jogos. O Churín grita pra caramba, o Kannemann quase me deixou surdo de tanto torcer hoje. É muito importante esse espírito. Contando com o elenco assim acho que iremos chegar no ponto que precisamos chegar”, projetou o dirigente.

Alisson, autor de um dos gols da vitória sobre os catarinenses, também ressaltou a união do grupo como fator preponderante para a reação na temporada:

“Eu estou aqui para ajudar o Grêmio, honrando a camisa, dar o melhor a cada dia. Chegar em casa tranquilo, olhar pro meu filho, ligar pra família com a consciência de que dei meu melhor. Não só o Alisson pela comemoração do gol, mas todos foram importantes. Os que começaram, os que entraram, os que ficaram no banco e apoiaram o tempo todo. Isso mostra que estamos unidos e logo eu tenho certeza que vamos botar o Grêmio onde ele merece”, disse o jogador.

A vitória gera alívio ao Grêmio, mas não tira o time do 19° lugar, agora com 10 pontos. O próximo jogo no Brasileirão é no sábado, fora de casa, diante do São Paulo, às 21h.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas