fbpx

Delegada revela ameaças de torcedores do Corinthians e diz que Edenilson esperava desculpas de Ramos: “Não aconteceu”

Confira mais detalhes dos desdobramentos do episódio ocorrido na noite de sábado

Delegada responsável pelo caso de injúria racial envolvendo Edenilson e Rafael Ramos (foto), Ana Caruso concedeu declarações à Rádio Gre-Nal durante esta segunda-feira para dar mais explicações sobre a investigação e os rumos que o episódio vai tomar. Segundo ela, torcedores do Corinthians fizeram ameaças ao delegado que estava de plantão no Beira-Rio e tomou os primeiros depoimentos.

“O delegado que estava no momento do jogo passou o dia inteiro sendo ameaçado por torcedores do Corinthians. Infelizmente nós estamos nos deparando com situações lamentáveis como essa. Quando um crime acontece, a autoridade policial tem o dever de prender em flagrante. Foi uma situação que o delegado que estava lá entendeu como flagrante”, explicou.

A delegada garantiu que o depoimento de Edenilson foi “preciso” e que o jogador do Inter esperou receber um pedido de desculpas de Ramos, o que, segundo ela, não aconteceu:

“O depoimento do Edenilson é preciso. Ele não tem nenhuma dúvida do que escutou. Disse que ainda depois procurou o Rafael esperando que ele se redimisse, mas isso não aconteceu. O Rafael disse que falou outra coisa e pelo sotaque português acabou sendo confundido”, comentou Caruso, antes de finalizar:

“Nós ainda não solicitamos outras imagens. O Beira-Rio tem imagens muito boas e geralmente nos cedem. Trabalhamos com aquela imagem da TV pois é de frente, um ângulo bom”.

Rafael Ramos foi detido em uma das salas do Beira-Rio por conta do episódio e só foi liberado após o pagamento de fiança no valor de R$ 10 mil. O jogador português, na sequência, fez uma rápido pronunciamento à imprensa negando ter sido racista e afirmando ter se acertado com Edenilson.

VEJA MAIS – Vitão pergunta para Edenilson o que aconteceu e depois empurra Rafael Ramos:

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas