D’Ale diz que não vai para o Celta, lembra tragédia pessoal de Abel e desabafa: “Queria o Inter mais unido”

Confira mais detalhes da coletiva de imprensa concedida por Andrés D'Alessandro nesta segunda-feira

Publicidade

Em uma inesperada decisão anunciada já em caráter oficial, Andrés D’Alessandro comunicou em coletiva de imprensa nesta segunda-feira que não continuará jogando no Inter depois do dia 31 de dezembro de 2020, que é quando encerra o seu atual contrato com o clube.

MAIS – D’Alessandro embarga a voz e se emociona em vídeo de despedida à torcida do Inter:

Ele seguirá disponível no grupo até a data do término no vínculo e está livre para seguir atuando, como na próxima quarta-feira, 21h30, diante do Boca Juniors, em casa, pela ida das oitavas da Libertadores.

Confira abaixo os principais tópicos da coletiva de D’Ale nesta segunda-feira:

Relação com Coudet:

“O que sei é que para o Celta de Vigo eu não vou (risos). O Coudet continua a ser meu amigo, mas respeito as decisões. A nossa amizade sempre ficou fora do campo e do dia a dia do clube. Eu gostaria de ter sido mais aproveitado, isso sim. Sempre fiquei à disposição até porque eu preciso respeitar primeiro o clube e depois os meus colegas. Ficar tanto tempo não me dá direito de passar da linha. Volto a repetir: gostaria de ter sido mais aproveitado porque me sentia pronto”

Elogios a Abel Braga:

“A minha motivação é a mesma. Vou fazer tudo que o técnico precisar. Aqui eu agradeço o Abel Braga por ter vindo. Um dos mais vitoriosos da história do clube. Não precisava ter voltado para dar uma força pro clube. Poderia ter ficado no Rio de Janeiro descansando com a sua família, com a sua mulher. Todos nós sabemos da tragédia pessoal que ele teve. Mas ele veio para ajudar”

CLUBE UNIDO:

“Eu senti nesses 12 anos que nem todo mundo é colorado. Que nem todo mundo quer o bem do clube. Eu conheci muitas pessoas. Nem tudo que parece ser é o que é. Gostaria de um clube mais unido e sem tanta falta de respeito”

CRÍTICAS A ESPECÍFICO TORCEDOR:

“Ontem eu recebi um tuíte de um torcedor, parece que é candidato a conselheiro do Inter, Luciano Pontes: “Esse gringo 171 que só se arrasta em campo”. Ele pode não gostar do meu futebol. Mas ele tem que respeitar o meu caráter e a minha índole. Eu nunca desrespeitei ele. O Twitter é o lugar dos covardes e continua sendo”

DECISÃO NÃO MUDARIA SE COUDET CONTINUASSE:

“O passo mais difícil é me desligar do clube. Não é uma decisão de cabeça quente, não é ter ficado fora da Copa do Brasil, não é a saída do treinador. Mesmo se ele tivesse a frente do grupo eu teria tomado essa decisão”

ERA O MOMENTO DE ANUNCIAR?

“Eu pensei em tudo. Nunca vai ter um melhor momento. Eu gostaria estar aqui anunciando que vou encerrar minha carreira no clube. Mas não vai ser isso. Acho que não seria bom anunciar depois da primeira partida contra o Boca, ou depois da segunda, por causa do resultado que tiver. A partida com o Boca será importantíssima com uma das equipes mais fortes da América. Apesar dos últimos resultados, eles vêm em uma situação parecida com a nossa. Mas Libertadores é diferente. Enfrentaremos como uma final”

CONTATO COM O ELENCO

“Eu vou falar hoje com o grupo porque eles precisam saber e eu sempre fui um cara esclarecido. Preciso falar com o meu grupo. Vai ser muito difícil falar com eles e com os funcionários”.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Inter em tempo real. (Clique Aqui)