Coudet defende presença de Mauricio e reclama de “insultos” da torcida: “Talvez o problema seja eu”

Saiba as principais falas de Eduardo Coudet depois de Inter 1x1 Atlético-GO

Publicidade

Não apenas mantido como titular, mas agora também capitão do time, o meia Mauricio recebeu total apoio do técnico Eduardo Coudet depois de Inter 1×1 Atlético-GO neste domingo, no Beira-Rio, pela quarta rodada do Brasileirão. Na coletiva, o treinador reclamou de insultos feitos pela torcida logo no começo do jogo e ainda questionou se “talvez o problema seja eu”:

As dificuldades do Inter contra o Atlético-GO

Quando o rival tem muita gente no último bloco de defesa, é difícil para todos. Acho que geramos muitas situações, mas não tivemos a sorte de converter. É continuar trabalhando. Falei antes que era um jogo de dificuldade para nós, até pela parte física. Tivemos uma viagem longa e um jogo anterior de muito calor. Mas nossos jogadores correram como sempre. Não se notou nada físico. A equipe fez um grande esforço e foi protagonista o tempo todo. Mas não deu

Coudet reclama de insultos da torcida

Entendo toda ilusão que temos, mas estávamos a um gol de ser líder do Brasileirão. Clima estava pesado no Beira-Rio. Não há mais paciência. Muitos insultos pra mim desde o primeiro minuto. Acho que ainda estamos pagando a eliminação do Gauchão. Imprensa local me pega o tempo todo. Talvez tenha razão. Talvez o problema seja eu. É um clima raro no Beira-Rio. Na primeira rodada foi protesto da torcida. Hoje essa impaciência. São insultos da torcida sem parar. Tenho experiência, mas me dá a tristeza essa situação

Mauricio

É um grande jogador, que ajuda muito e vem trabalhando muito bem. Hoje gerou situações de gol também. Colocamos o melhor time que poderíamos. E terminamos também. As trocas tiveram referência à parte física durante a partida. Há alguns meses, todos queriam ele. Se eu não colocava Mauricio, me matavam. Mas não gosto de apontar a ninguém. O time foi protagonista e correu igual a sempre

Mais sobre as críticas que recebe

A imprensa local me mata. Hoje com 15 minutos o torcedor me insultava. Se fizéssemos mais um gol, éramos líder do campeonato. Não sei. Talvez querem jogar de outro jeito, mas para mim o Inter é um time grande que tem que ser protagonista sempre. Mas não tem mágica. Não ganhamos estadual nos últimos 7 anos, um Brasileirão há 40 anos, um torneio internacional há 14 anos. Temos que trabalhar. O Inter não é um clube que pode contar com a sorte

Ajude o Rio Grande do Sul – Doe pelo PIX – CNPJ: 92.958.800/0001-38

Ajude o Rio Grande do Sul
Chave PIX - CNPJ: 92.958.800/0001-38 Instituição: Banrisul Nome: SOS Rio Grande do Sul

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas