Bolzan entende “indignação” de Renato e responde se o Grêmio pode concluir o Brasileirão com o sub-23

Presidente adiantou que não fará reclamação formal à CBF por entender que "não adianta mais"

Transtornado com as decisões da arbitragem no Gre-Nal 429, que terminou com vitória do Inter por 2×1 no Beira-Rio neste domingo, pelo Brasileirão, o técnico Renato Portaluppi deixou claro que, por ele, conclui o campeonato escalando apenas o Time de Transição, sub-23, como forma de protesto.

Em sua coletiva, o treinador gremista disse esperar apenas o aval do presidente Romildo Bolzan Jr para dar andamento à ideia já na quinta-feira, na Arena, diante do Flamengo. O mandatário, que deu coletiva na sequência de Renato, entendeu a “indignação” do treinador e disse ser “natural” uma sugestão desta maneira:

Veja também:
1 De 6.111

“É razoável que seja dito isso por conta da indignação: tínhamos o jogo na mão, tomamos um gol aos 45 e depois tivemos duas situações de pênalti, sendo uma existente para o Grêmio e outra não existente contra o Grêmio. Esse ambiente gera indignação. Essa é a verdade. Há posições fortes e é preciso respeitar isso. Quem tem compromisso com a efetividade de resultados, com a trajetória que tem essa comissão técnica, é natural que tu fique indignado”, disse Bolzan, antes de concluir:

“A indignação tem reação forte, sim. Acho natural que seja colocado um tema dessa natureza (usar o Time de Transição) na ordem do dia. O que vai acontecer eu não sei. Por uma razão muito simples. Tu joga praticamente toda uma possibilidade fora por um erro de arbitragem, que tinha recursos de visualização. No lance do Ferreira, empurrado pelas costas, e o pênalti dado pro Internacional”.

O que o presidente deixou bem claro, por outro lado, é que o Grêmio não enviará ofícios, dossiês ou qualquer documento oficial com reclamações à arbitragem à CBF. Para Bolzan, esse tipo de atitude já não adianta mais:

“O Grêmio não vai fazer protesto, documento ou solicitação à arbitragem brasileira. Da última vez que fizemos, sofri um processo disciplinar dentro da CBF por conta de uma notícia que dei dos passos que seguiríamos após aquele jogo contra o São Paulo. E isso partiu da Associação dos Árbitros da CBF. Chegamos à conclusão que não adianta mais”.

As principais reclamações do Grêmio ao árbitro Luiz Flávio de Oliveira e ao VAR é pelo pênalti dado por toque de Kannemann e uma penalidade não dada em Ferreira a partir de disputa com Nonato – os dois lances não foram revistos no VAR. Enquanto o Inter lidera o campeonato com 62 pontos, o tricolor permanece em 6° com 51.

Acesse o canal do nosso WhatsApp e ative o sininho para receber notícias:

Canal WhatsApp - Zona Mista Grêmio
Entre no canal e ative o sininho para receber as notificações

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas