Após vitória sobre o Cuiabá, Renato revela que mandou mensagem a Dome e comenta saída de Coudet

Confira alguns detalhes da coletiva de imprensa do treinador gremista nesta quarta-feira

Publicidade

Em entrevista coletiva concedida na noite desta quarta-feira, o técnico gremista Renato Portaluppi celebrou a vitória de 2×1 fora de casa sobre o Cuiabá, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil, e também abriu espaço para fazer uma defesa à classe dos treinadores – confira abaixo os principais trechos:

Qualidades do Cuiabá e disputa aberta:

“O Cuiabá vem muito bem. Eliminou o Botafogo. Não tem mais bobo no futebol. O Grêmio vai jogar (na volta) para vencer o jogo, como sempre jogou. Não vamos esquecer do adversário, que tem a sua qualidade e é a surpresa da Copa do Brasil junto com o América-MG. Você não pode se atirar de qualquer jeito. Tivemos chances de fazer mais, de matar o jogo, acabou ficando o placar mínimo. Mas é um jogo de mata-mata e temos mais 90 minutos, mas dessa vez é dentro da nossa Arena”.

MENSAGEM A DOMENEC TORRENT, EX-FLAMENGO:

“O Dome eu admiro bastante, mandei mensagem pra ele, fiquei triste, mas é problema do Flamengo. Se os estrangeiros não derem resultado como o Jesus deu, eles serão mandados embora. Aqui no Brasil não se tem paciência. Com o brasileiro é assim e com o estrangeiro também. E eles têm o problema de adaptação, língua, calendário. E muitos treinadores brasileiros querem imitar os europeus. Mas você não tem que ficar inventando ou copiando. Se é pra imitar os europeus, os brasileiros vão perder o espaço. Quantos títulos mundiais o Brasil tem? Então por que o Brasil tem copiar tudo lá de fora. Tem coisas de lá que eu acho erradas”.

SAÍDA DE COUDET DO INTER:

“Aqui não se tem paciência. Infelizmente, toda hora querem que o seu time ganhe. E ninguém tem paciência. É fácil de criticar, criticar, criticar. Todos têm problemas, e com essa pandemia todos querem descarregar no futebol. E vai pras redes sociais. Choveu, a culpa é do treinador. Faltou luz, a culpa é do treinador. Tem sol, a culpa é do treinador. Tudo é o treinador. Aí o treinador pede pra ir embora e não pode. Não pode por que? Pode, claro que pode. A gente viu a decisão do Coudet de sair, é um direito dele. É muito massacre da imprensa, das críticas, fica muito difícil”.

ALTOS E BAIXOS:

“Sequência de jogos, viagens. Nem sempre você pode contar com todo mundo. Não tem uma equipe no Brasil que não está tendo altos e baixos. Eu sei que estamos tendo, mas estamos conquistando os resultados. Melhorar, todos precisam”.

DIEGO SOUZA E O GOL:

“O Diego (Souza) vinha jogando todos os jogos. Por isso trouxemos o Churín. Desde que ele chegou, tem nos ajudado. Eu passo muita confiança e tranquilidade para os atacantes. O mais importante é eles ajudarem, de uma forma ou de outra, mesmo não fazendo gol”.

LIBERDADE NO ATAQUE:

“O jogador, quando tem qualidade, tem que abrir espaço para o companheiro, aparecer para as jogadas. Eu dou essa liberdade. O jogador que tem qualidade não pode aceitar a marcação”.

Entre no canal do WhatsApp do Zona Mista e receba notícias do Grêmio em tempo real. (Clique Aqui)