fbpx

Falcão admite que pensa em ser executivo de futebol e se arrepende de ter voltado ao Inter em 2016: “Hoje não teria assumido”

Paulo Roberto Falcão concedeu declarações à Rádio Gaúcha sobre o seu futuro no futebol

Afastado do futebol desde a última passagem como treinador do Inter, Paulo Roberto Falcão ainda se vê voltando a atuar no dia a dia de clubes, e já cogita seguir a dica de amigos para ser executivo de futebol. Ele admitiu a possibilidade em entrevista ao programa Paredão do Guerrinha, da Rádio Gaúcha, nesta semana:

“Penso em continuar trabalhando como treinador, apesar de muitos amigos meus dizerem que eu tenho tudo para ser diretor executivo. Eles acham que eu tenho história, tenho conhecimento, que eu vou saber escolher o técnico com base nas características dos jogadores, que a imprensa vai me respeitar. Comecei a pensar também nessa possibilidade, de ser aquele que segue a política do clube e que escolhe o técnico, os jogadores, junto ao presidente e que tem o marketing e o financeiro do lado. Cheguei a pensar vagamente nisso, de ser aquele manager do clube”, declarou.

Em relação ao Inter, o antigo craque admitiu que se arrepende de ter topado treinar o clube no ano de 2016, substituindo Argel na campanha do rebaixamento. Sem vitórias, Falcão dirigiu em apenas cinco jogos:

“Talvez eu não devesse ter aceitado o Inter nessa última passagem. Não conhecia o grupo, jamais imaginei que seria convidado por motivos que não vêm ao caso. Meu olhar era em cima de outros jogadores, de outros times. Embora conhecesse o time. Acho que não esperava assumir em uma quarta, jogar domingo, domingo, quinta e domingo e ser demitido. Pensando hoje, talvez não tivesse assumido”, colocou.

Na época, Falcão dirigiu o Inter em derrotas para Palmeiras, Cruzeiro e Corinthians, além de empates contra Ponte Preta e Fluminense.

Gostou do site? Então deixe sua curtida:

Publicidade

Utilizamos cookies. Aceitar Ler políticas